segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Regresso sempre


Regresso sempre ao bote longínquo
deslisando sobre as águas
onde as estrelas se reflectem
e aprendi a escutar as vozes inesqueciveis do silêncio...

( em todas as datas e lugares)
Postar um comentário