domingo, 15 de maio de 2011

Palavras plenas

Palavras plenas,
só as da terra, do sol, e do mar,
e do choro, e do riso,
e da manhã, e da noite.
Sonho real, como as flores e os frutos,
e as sementes, e as folhas caídas e pisadas no chão,
e as mãos abertas com dedos com fome de amor e de vida sedentos,
só as palavras que cheirem a vida e a morte,
a lembrança e a esquecimento,
e a desejo de intemporalidade,
e saibam ouvir os búzios,
cujos segredos procuram escutar por entre as rochas e penhascos
nos caminhos que se confessam destinados ao amor infinito!.....
-
Maio de 2011
-
" Caminhos do silêncio"
-
Foto Net
-
Poema reconstruído
Postar um comentário