quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ao meu pai


A tua presença é constante
Nos caminhos que me ensinaste.
Já partiste.
Mas sinto o teu respirar.
-
( poema que me veio à mente no percurso de um caminho do meu alentejo )
Postar um comentário