quarta-feira, 2 de abril de 2014

Marinheiro



 (Foto Net )

- Poema de RITA ALEIXO

( escrito no dia do Pai e da Poesia )

Psiu !
Marinheiro !
Que sabes tu?

O caminho que percorres
segue solto por aí
- cheio de agulhas e buracos
névoas e fracassos -
e nem eu, nem tu, dominamos o mar,nem eu, nem tu somos uma bússola que
sabe as estrelas nortear…


Psiu !
Marinheiro !
Olha o horizonte lá longe,
uma linha plana sem fim…
Como havemos de lá chegar?
se nem eu, nem tu,
sabemos navegar !


De olhar atento perscrutas

o azul infinito dos sonhos,
Os teus braços são como
os mastros do navio

e as tuas mãos agarram
firmes o leme,
fortes na sua vulnerabilidade.
E soltas a âncora,
não sem hesitações.

E é assim que partimos
Eu e tu

E a brisa do vento
E as ondas e o calor do sol
enquanto canções…
Vamos! Dizes tu,
Havemos de lá chegar !

A rota é um mistério por descobrir
E o mar
Todo ele um universo de vida e de morte
cheio de búzios, peixes e areia,
água, por vezes traiçoeira,
e sim, tribulações…

Mas ainda assim, dizes tu,

Havemos de lá chegar !



RITA ALEIXO

 19/3/2014



Postar um comentário