segunda-feira, 24 de agosto de 2015

E no chão outros olhos me olham


Olhos postos no céu esperando o risco ígneo das pedras do reino infinito desconhecido
no horizonte limitado da atmosfera envolvente....

Baixo o meu olhar para as folhas das árvores ciumentas da minha atenção.

E no chão outros olhos me olham: 
os do meu cão,
que dizem:
- Por onde tem andado a tua afeição?!


Atrás do banco onde estou sentado na noite ventosa
as águas do Guadiana onde as estrelas se reflectem
continuam a sua viagem indiferente
em direcção ao regaço do mar....

Mertola, 13 de agosto
Postar um comentário