segunda-feira, 18 de abril de 2016

Chuva fria na incerteza do dia



Chuva fria na incerteza do dia
Diz a minha alma que está à janela por detrás das vidraças
Do tempo suspenso
Nas ruas do mundo somos figuras sombrias
Rios
Com árvores de braços despidos nas margens
Com saudades do sol
A chuva cai fria na incerteza do dia
A minha alma está triste sem saber o que fazer
E diz para si própria
Que não é vida que encha de alegria o seu corpo
Ficar assim como que sem vida o dia todo
A ver chover...


15 de fevereiro
Postar um comentário