quarta-feira, 31 de agosto de 2016

A POESIA

A poesia como a vejo e sinto
Não explica, nem gosta de explicações.
Ela é , simplesmente.
Insinua.
Dança no arame tenso em cima do abismo
E brinca com a morte
Que respeita, mas não teme.
A poesia como a sinto
Não é intelectual.
É apenas água.
Que bebe água das fontes do amor
E a poe a correr nos caminhos
Que vão dar aos corações...
Sem explicações...
.
Eduardo Aleixo
.
2014
Postar um comentário