quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Sem o saberes


Aproximei-me da tua porta 
E sem o  saberes entrei no teu jardim.
Fiquei a olhar para as flores

E vi como elas são a imagem e semelhança do teu rosto.
Curvei-me sobre a terra 
E pus-me a trabalhar as tarefas que deixaste interrompidas.
Colhi algumas flores, que deixei à tua porta.
Depois... saí silenciosamente,

E afastei-me a sorrir,
Contigo dentro de mim...

Lisboa, 5 de Dezembro

Foto Net
Postar um comentário