quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Como se fosse pela primeira vez


( Foto Net )
As portas do passado fechadas.
As janelas do futuro escondidas.
Respiro o ar fresco e leve da manhã
como se fosse pela primeira vez.
Olho, vejo, observo
o céu tão puro e tão azul.
Ouço, escuto,maravilhado, o cantar esplendoroso de um passarinho:
- como é possível!
Sinto,
como se fosse pela primeira vez,
a caricia da brisa matinal na pele do meu rosto.
E vejo
os ramos das palmeiras dançando airosamente
empurradas pelo vento.
E penso
na importância de respirar,
de ver,
de observar,
de ouvir,
de sentir tudo,
como se fosse pela primeira vez!

Eduardo Aleixo
28 e nov

Postar um comentário