quinta-feira, 17 de junho de 2010

Obrigado, Lumena

Recebi este mimo da amiga, Lumena ( http://lumynart.blogspoot.com ) Ofereço este selo a todos os amigos do À Beira de Água.
------------
O meme ou memética, é precisamente tudo aquilo que aprendemos de outra pessoa através da imitação, ou seja, alargar as fronteiras. Quando imitamos alguém, passa adiante a informação de novo, e de novo, e assim se ganha uma vida própria. A ideia é permanecer a informação viva mesmo que modificada, não se afastando do original. "Um meme é considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento ou cérebros. No que diz respeito à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma auto-propagar-se. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma. O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética. Quando usado num contexto coloquial e não especializado, o termo meme pode significar apenas a transmissão de informação de uma mente para outra. Este uso aproxima o termo da analogia da "linguagem como vírus", afastando-o do propósito original de Dawkins, que procurava definir os memes como replicadores de comportamentos. Ainda que tal possa surpreender alguns defensores da memética, conceitos similares ao de meme antecedem em muito a proposta de Dawkins, ocorrendo por exemplo no ensino Sufi, segundo o qual os Muwakkals são considerados como entes autónomos e elementares que constroem o pensamento humano. A chave de todo o ser humano é seu pensamento. Resistente e desafiante aos olhares, tem oculto um estandarte que obedece, que é a ideia ante a qual todos os seus factos são interpretados. O ser humano pode somente ser reformado mostrando-lhe uma ideia nova que supere a antiga e traga comandos próprios. (Ralph Waldo Emerson - Fonte: Wikipédia)"
-----------------
Texto colhido do blog de Lumena.
Postar um comentário