quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Minha génese

Foste, és e serás sempre a minha paixão
Mulher guerreira, em vias de extinção
Nunca na vida conheci ninguém igual
És a génese de tudo o que agora sou
Foste a mestra que sempre me ensinou
Contigo aprendi a ser alguém especial
-
Foram muitas as agruras que a vida deu
Não cedestes, teu ânimo não esmoreceu
Ainda hoje vais à luta, não viras a cara
Nunca vi no teu rosto sinal de teres medo
Se algum dia tiveste, guardaste segredo
És tenaz, lutadora e todo o mundo repara
-
Jamais ouvi da tua boca um queixume
És combustão, labareda de outro lume
Sempre pronta para a tristeza combater
Com esse olhar cheio de determinação
Estiveste sempre disposta a dar a mão
És amor, que melhor mãe poderia ter.
-
In " Amador do Verso " - de Emanuel Lomelino
-
NOTA: Publico com todo o gosto este poema do meu amigo Manu, ( http://amadordoverso.blogs.sapo.pt ) dedicado à sua mãe, e que ele leu na apresentação do seu livro. Gostei muito de ter estado presente. Gostei também muito do prefácio escrito pela Ausenda Hilário ( Utopia das Palavras - http://poemas76.blogs.sapo.pt ). Parabéns, amigo. Toda a sorte do mundo para ti e tua obra. Parabéns, Ausenda. Um abraço aos dois. Eduardo Aleixo
Postar um comentário