terça-feira, 2 de junho de 2009

Crónica "Dia da Criança em São Tomé e Príncipe"

Ontem foi Dia da Criança. Por estas bandas este dia assume uma importância tal que é praticamente feriado. O que é curioso numa terra onde a criança tem um estatuto mínimo ao longo dos restantes 365 dias do ano. Mas no dia 1 não! As escolas são pintadas, tudo é arrumado em jeito de festa, os pais compram novos uniformes para as crianças e vestem-nas como se fora para um casamento, e às meninas põe-lhes lindas trancinhas. Na verdade, andam todos muito bonitos. Uma escola de uma roça afastada pediu que a organização onde trabalho "apadrinhasse" o dia das crianças da comunidade. Apesar de não ser o nosso trabalho directo, não tive como dizer não e decidimos levar como prenda algum material escolar para as crianças, que se resumiu num pequeno caderninho com uma caneta para cada um. Nestas comunidades os arranjos são muito mais modestos, mas mesmo assim as crianças estavam todas vestidas com a melhor roupa que tinham. Juntamo-nos no espaço precário onde são dadas as aulas, e cada turma (da 1ª à 4ª classe), depois de todos cantarem o hino nacional, apresentou algumas canções e danças que tinham preparadas para o dia. Só houve uma coisa que me fez confusão, e perguntei ao professor da comunidade: "Onde estão os pais??". O senhor encolheu os ombros e disse que não tinham o costume de vir assistir...Resumindo, só a nossa equipa estava a assistir e os miudos mais velhos. Os adultos estavam em casa, nas suas vidas, a preparar o almoço, não sei. Mas tive pena das crianças, que mesmo assim, estavam contentes por, nesse dia, terem um pouco mais de atenção e espaço para brincar. Mas ainda assim, muito pouco, muito pouco mesmo. Boa semana a todos, Rita
Postar um comentário