quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Poema

Maré brava, Sopro de vento escondido. Atrás da orelha, uma lágrima, Um suspiro, sem sentido. Um grito que agita o ouvido. - Maré traiçoeira, Silvo de vento que agita por dentro. Minuto de silêncio onde tudo acontece Um mundo inteiro cá fora Reflectido nos traços do tempo. - Maré agora calma, Brisa que beija, Brisa que abraça. Toque que preenche todo o ser De plenitude e sentimento. - É a vida, toda ela a acontecer num breve momento. - Bjs Rita
Postar um comentário