sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Poema de Graça Pires

No meu país havia marinheiros
com braços de tempestade.
Havia um cais e um sonho
ateado em cada mastro.
E havia no vento o chamamento do mar.
Havia no meu país o voo antigo dos pássaros
para adivinhar a sina dos homens.
O mistério do sangue e do parto
e o uivo das fêmeas em noites com lua
havia também no meu país.
No meu país havia a terra e a memória
e os cantares de amigo
e a pressentida eternidade das palavras.
-
Graça Pires, in " O silêncio: lugar habitado "
( Prémio Nacional Poeta Ruy Belo )
( Foto de Lucy, que agradeço: http://lucy-natureza.blogspot.com )
Postar um comentário