sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

FAMÍLIA

Temos uma família desfeita na terra:
( Ó ternos corações, ó fechados olhos onde costumávamos
habitar! )
mas dessa não temos notícia:
e o nosso amor é uma rosa sobre muros de sombra.
--
Temos uma família muito distante,
em aposentos que não vemos, em países que jamais iremos
visitar!
Dessa temos notícias, eventualmente:
mas o nosso amor é uma rosa que murcha incomunicável.
--
Temos uma família próxima, algumas vezes,
que se move, e nos fala, e nos vê,
mas entre nós pode não haver notícias:
e o nosso amor é um muro sem rosas.
--
Temos muitas famílias, havidas e sonhadas.
São as nuvens do céu que levamos sobre a alma,
as espumas do mar que vamos pisando.
Nós, porém, continuamos viajantes solitários:
e a rosa que levamos no coração, comovida,
também se desfolha.
--
( Ou pode ser que, afinal, a rosa seja unânime
e eterna
em sobre-humana família. )
( Cecília Meireles - 1961 - in "Antologia Poética" )
Postar um comentário