sexta-feira, 10 de abril de 2009

Rainer Maria Rilke

1
Chamais vós alma ao que tão frouxamente
vibra em vós? O que, como o soar dos cascavéis dos loucos,
pede aplauso e corteja dignidades
e finalmente, pobre, morre uma morte pobre
na tarde incensada de capelas góticas, -
- chamais a isso alma?
-----
Quando olho a noite azul, pelo Maio nevada,
em que os mundos giram longas vias,
então me parece que trago em mim um pedaço
de eternidade no peito. Agita-se, e grita,
e quer subir e quer girar com eles...
E isso é que é alma...
2
Não esperes até que Deus venha a ti
e diga: Sou.
Um deus que confessa a sua força
não tem sentido.
Hás-de saber que o sopro de Deus te invade
desde o princípio,
e quando o coração te arde e nada trai,
é ele então que em ti cria.
( Rainer Maria Rilke )
Postar um comentário