segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Mértola, nove de Novembro.

Guadiana: a manta amarela do outono cobrindo completamente os choupos à beira das águas...
Águas calmas, paradas, já não as mesmas águas, puras, movimentadas, da minha infância, quando o rio respirava saúde e as águas eram renovadas todos os anos com as cheias que tapavam os choupos e trepavam as encostas íngremes...
Jã não existindo as pessoas... permanecem os lugares, que falam.

Mértola, 9 de Novembro de 2008

Postar um comentário