quinta-feira, 12 de junho de 2008

As flores não são tudo

As flores não são tudo!
Belas, só quando e porque sorri a tua boca.
Prefiro as crianças por mais sujas!
As flores não são tudo.
Nada valem
Se for inverno no coração dos homens.
As flores...
Quero eu abri-las
Na compreensão perfeita,
No diálogo das mãos e dos corpos sem fronteiras,
No indescritível milagre
De dois seres que comunicam
No mundo aberto,
Sincero,
Na dança liberta
Que bem-diz o acto de ter nascido,
Na serena aceitação da despedida,
Na simplicidade de te amar
Como pão na minha boca,
Sem medo,
Sem cálculos,
Sem mapas,
Sem muros,
Sem países...
A não ser os nunca descobertos,
Que não me canso,
Deslumbrado,
De pressentir,
Enleado
No teu corpo...
Eduardo Aleixo
Postar um comentário