segunda-feira, 2 de junho de 2008

Se tens voz, canta...

Se tens voz, canta.
Não deixes morrer nunca
O poema tão lindo
Que tens vivo, na garganta.
Eduardo Aleixo
Postar um comentário