sexta-feira, 6 de junho de 2008

Sorriso poético à noite e à chuva

Quando olho para a minha amada
E ambos sorrimos por dentro sem nos rirmos
É um estado de graça:
Chove lá fora.
É noite.
O vento corre doido pelo ar.
Mas cá dentro
É manhã,
Céu azul,
Brisa do mar.
Eduardo Aleixo
Postar um comentário