terça-feira, 3 de junho de 2008

Interstícios

O meu olhar procura O espaço escondido No meio das pedras antiquíssimas. É o interstício...
Passagem que me leva Ao sítio misterioso dos búzios Ao país sem tempo dos perfumes À quentura infinita De todos os regaços Seios Braços apertados Abraços Olhos luminosos: Parecem os teus olhos,
Mas não são, não...
São os olhos das estrelas!
Tristes e tão sós!
Com saudades de nós!...
Eduardo Aleixo
Postar um comentário