sexta-feira, 5 de setembro de 2008

É como se fugíssemos ...

A nossa vida é uma história com um número incontável e desconhecido de estórias, esquecidas, não lembradas, adormecidas, soterradas, abandonadas, desprezadas, muitas delas presenças, figuras silenciosas, que nos acompanham ao longo d0s anos e de que não damos conta, ou, quantas vezes, fingimos que não existem, materializadas em objectos, em livros, fotos, filmes, quadros, discos, cartas, postais, para só falar naquilo que faz parte do chamado mundo objectivo ...
Podemos assim atravessar toda a nossa existência sem prestarmos a atenção que estes bocados de vida merecem, ainda com coisas para dizer, mas que temos medo de ouvir, de afrontar!...É como se fugíssemos, cobardemente, de nós próprios!...
Eduardo Aleixo
Postar um comentário