sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Inventámo-nos

Inventámo-nos. Somos
eco do mesmo apelo reconhecido,
a mesma busca
dum resgate impossível.
A mesma fome nos ergueu
os braços
a um gesto de encontro,
um riso,
um pólen na viagem do vento.
E eis que o pássaro inexistente
pousa
concreto e tangível
sobre os nossos ombros.
( Egito Gonçalves - em " O fósforo na palha " )
Postar um comentário