sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Confraternização em Monserraz

Os blogues " A Dita e o Balde" e o " À Beira de Água "

confraternizaram, ontem, na tranquilidade de Monserraz.

Planura em direcção a Espanha. Este Alentejo é o verdadeiro, o da planície, diferente do meu, serrano, quase algarvio.

Cal branquinha, para expulsar das casas a luz tórrida dos meses de Julho e Agosto...

As águas do Alqueva inundaram tudo e alteraram radicalmente a paisagem: colinas de antanho são hoje ilhotas...

Entramos enfim ...no silêncio das ruelas...
Ao contrário de Óbidos, aqui ...o tempo ...parece que parou!
Artesanato
Não se vê ninguém!
Igrejinha
Duas pessoas enfim, encostadas à parede...
Almoço com o Pedro Martins
Almoço genuinamente alentejano, com borrego ( muito tenrinho ), porco, batatas ( no forno e fritas ), azeitonas ( das oliveiras, do vale, que se podem ver, através da janela do restaurante) , "panito" alentejano, vinho de Reguengos( só meia garrafa, pois tenho de regressar, de carro, para Lisboa ...)...
Conversámos sobre política, literatura, amizade e blogosfera.
Reportar a conversa seria uma grande conversa. Não tenho dúvidas de que interessante, pois somos de uma geração muito rica, que se fez a si própria, ...sem ajuda de psicólogos! Que fez uma Revolução e que sabe o que é desafiar a Opressão. Que se lembra de coisas como andarmos em público com livros proibidos como " Os subterrâneos da Liberdade ", de Jorge Amado, sabendo que podíamos ser presos, mas que mesmo assim andávamos ( nem todos andávamos, esclarecia o Pedro! ). Noites, ouvindo o Zeca, e sabendo que à saída dos locais onde estávamos, tínhamos de correr mais depresa do que os " polícias de choque ". Geração em que nós e elas não tínhamos a liberdade , como hoje existe, para amar!...Falámos sobre tantas coisas!...
Da blogosfera também falámos, claro. Gostei tanto da confraternização ...que fiquei a pensar, e isto já no meu regresso, de noite, sozinho, para Lisboa, que seria muito interessante fazer mais encontros destes, com outros blogues, assim os haja que se manifestem neste sentido...
Eduardo Aleixo
Postar um comentário