segunda-feira, 14 de julho de 2008

Porque não há equilíbrio

Só o equilíbrio
Entre a praia dos pescadores,
Onde os barcos
Vão buscar o pão ao mar,
E a praia
Dos "résorts"
E das "massagens",
Secará
Um dia
A lágrima suja
Do rosto da criança
Que entra descalça
Na indiferença
Da cidade...

Eduardo Aleixo

Postar um comentário