segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Irmãs de Guadalupe

No domingo, a cidade de São Tomé fica vazia. As pessoas saiem para as roças, vão passear ou para a praia em grande camiões cheios de gente, música e cerveja. Desta vez, optei por algo diferente e fui conhecer o trabalho das irmãs que vivem na vila de Guadalupe, na zona norte de STP. Aproveitei o facto de ter um saco cheio de roupa de bébé para dar, deixado por colegas que vieram de passagem, e rumei á tarde para o local onde estas mulheres trabalham. Fizeram-nos um lanche e tivémos um momento de convívio muito agradável. A irmã que eu já conhecia chama-se Felismina e é um doce de energia e dedicação aos outros, sobretudo às suas meninas que vivem com elas e a quem apoiam nos estudos. São meninas das roças mais afastadas e com dificuldades, a quem elas oferecem abrigo para que possam prosseguir os estudos. Caso contrário, ficariam em casa a cuidar dos irmãos, muitas teriam filhos muito cedo e viveriam dos campos. Estas irmãs são exemplo do que são os verdadeiros missionários no mundo. Não são conhecidos, mas têm um trabalho exemplar nas comunidades, conhecendo toda a gente e ajudando quem mais precisa. Fiquei admirada com a genica e andamento destas pessoas, que com pouco fazem muito, nos quatro cantos do mundo, sem procurar visibilidade ou reconhecimento. Apenas apoio para quem mais precisa. Boa semana para todos, Rita
Postar um comentário