segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Jogos olímpicos de Pequim - considerações

Simpatizo com o " Golfinho ", eufemismo presenteado a Michael Phelps, que ultrapassou já o recorde mundial das sete medalhas de Mark Spitz, ganhas em 1972, em Munique, limite que muitos consideravam inultrapassável! E simpatizo, porque aos invejosos que já deram a entender, usando a linguagem dos invejosos, que ele é um anormal sob o ponto de vista físico, e aos que também já insinuaram que haverá doping no caso, ele, Michael, serenamente, disse: « qualquer um pode dizer o que entender. Mas eu sei que estou limpo» ! E esclareceu: « Participei num projecto com a Usada ( Agência Americana Antidoping ) , na qual me propunha a fazer mais testes para provar isso. As pessoas podem questionar o que quiserem, mas factos são factos e eu tenho resultados ( de exames anti doping) para prová-lo» . Mas do que mais gostei foi ele ter afirmado: « Não se consegue isso só com talento. É preciso muito trabalho pesado, muita dedicação. Tem sido uma combinação de tudo ». É assim mesmo, simpático " Golfinho". Embora eu intimamente pense que os invejosos mereceriam ouvir que há estrelas, planetas, cometas, meteoros, etc. E tu és uma estrela. ( Os meus poucos leitores não fiquem admirados com o meu discurso, pois eu, quando invoco a inveja, falando nos jogos olímpicos, de que não sou, nem de perto, nem de longe, especialista - eu gosto é do meu Benfica, e mesmo asim já rasguei o cartão de sócio! - no que estou a pensar é na vida, é nos empregos, é no dia-a-dia, em que a competição campeia e os milhares de luso- golfinhos que não vão a Pequim são vistos como anormais, só porque têm talento e dão o melhor de si, e quantos deles são " lixados", só porque ainda pensam que é possível subir na vida e ganhar a medalha sem ser subserviente e vender a alma ao diabo!...)
Outra estrela foi Usain Bolt, do Panamá. Que baixou o recorde mundial dos 100 metros para os 9,69 segundos. Só que não gostei do modo, que me pareceu arrogante, como o fez, dando o ar de quem espezinhava os seus adversários! Há estrelas assim! Não são do meu agrado. Fez-me lembrar o público de futebol que mimoseia ferozmente os jogadores do clube adversário com " olés", como se aquilo fosse uma tourada e os jogadores, a perder, fossem touros!
Quanto ao nosso querido Obikwelu... fiquei deveras triste! Paciência! Mas saiu de forma honesta, pela maneira como falou. Pelos fundamentos que apresentou. Desejo apenas que a Fundação a que se vai dedicar seja útil aos pobres de África, fim a que a mesma se propõe, se bem percebi!.
Mas...acho estranho que tão novo abandone uma actividade de que tanto gosta e pela qual tantos sacrifícios fez na vida!. E também acho estranho que tão novo já tenha uma Fundação!. E também acho estranho - porque sempre achei - que em Portugal haja tantas Fundações!
Por aqui me fico, porque estamos imbuídos, o mais possível, do espírito olímpico!
Eduardo Aleixo
Postar um comentário