terça-feira, 27 de maio de 2008

José Gomes Ferreira

Perguntaram-me se a crítica alguma vez me orientou. Respondi: -Até hoje creio que cumpri apenas o dever de todos os artistas verdadeiros: desorientei-a... ( José Gomes Ferreira, em " Imitação dos Dias ") Nota: gosto muito da terna ironia deste escritor. Na página inicial do livro, de que retirei este texto, releio o que escrevi, à laia de recordação, com a data de Junho de 1968: " Feira do Livro. José Gomes Ferreira ouvindo, ar docemente irónico, humildemente alheio ao que um senhor gaguejante dizia sobre ele. Tive vontade de perguntar-lhe se não estava cheteado daquilo..." Era assim, com aquele ar aparentemente ausente, que ele via o mundo, penetrantemente, das estrelas ao pó dos caminhos, ... Não achas, Zé Gomes? Eduardo Aleixo
Postar um comentário