sexta-feira, 23 de maio de 2008

A respiração das pedras

Há o momento
De rasgão aberto
Na saia do tempo
Em que disponíveis
Sem o sabermos
Sentimos a respiração das pedras
E as carícias do vento... São as musas?! Eu diria:
Não sei o que aconteceu! Só sei que as velhas palavras
Cantam de um modo diferente
Que é como se dissessem
Coisas novas...
Eduardo Aleixo
Postar um comentário