segunda-feira, 26 de maio de 2008

( De S. Tomé e Príncipe ) Por aqui, muitos desejam ir para a Europa, estudar, trabalhar ou simplesmente visitar os familiares. Conheço pessoas que já tentaram várias vezes obter um visto, sem sucesso, jovens com bolsas de estudo para estudar, outros que vêem Portugal como um escape da pobreza, mas que não conseguem sair pois o visto é sempre recusado. Vejo-os como numa pequena prisão - linda - mas uma prisão. Quando personalizamos os casos que vamos conhecendo e estes deixam de ser meros números, as coisas mudam de figura... Lá (ou seja, aí) podemos ser e fazer tudo o que quisermos ou nos esforçarmos para ser, ter e fazer. Aqui, bem, mesmo com muito esforço, os limites para a acção são brutais. As pessoas podem não passar fome, mas as necessidades mais básicas são o esforço diário da maioria da população. Tenho pena de algumas pessoas, a quem é negada a possibilidade de estudar lá fora, pois tenho a certeza de que conseguiriam chegar muito além do que este país lhes pode oferecer. Não que sejam mais felizes - não é essa a questão. Beijos de África para a Europa :)
Postar um comentário