segunda-feira, 19 de maio de 2008

Novas de São Tomé

Olá olá! aqui vai a minha primeira contribuição para o blog do meu pai, que está muito bonito (com alma!). Daqui de São Tomé vou entrar para partilhar das experiências e emoções intensas que se vivem, quando vimos de lugares e culturas tão diferentes... num lugar onde a falta de água e energia é uma constante, ou seja dia sim, dia sim, tudo o resto se torna um pouco secundário. num lugar onde ir ao supermercado é um pivilégio dos brancos e ricos, onde um simples produto pode custar mais do que o salário de uma pessoa, o consumismo deixa de ser um prazer, para ser uma vergonha. num país onde andar de carro é como andar de limusine, pois todos andam horas pelas estradas a pé para ir para a escola, trabalho, lavar a roupa ao rio ou apanhar lenha, deixa qualquer um a pensar. É isto, e tanto mais, que é dificil passar para as palavras o que sentimos quando chocamos realmente com a pobreza e falta de recursos. e mesmo assim, penso que é um privilégio podermos chocar com ela para repensarmos a nossa maneira de viver e a forma como lidamos com os nossos pequenos problemas diários. Porque chegar a casa e acender a luz, ter um frigorífico ligado, TV, maquina de lavar e água na torneira não é normal nestes países. e para nós, é um bem adquirido! É bom reflectirmos nisto, na abundância de poucos e na pobreza de muitos. Beijos e saudades! Rita
Postar um comentário